Quarta, 23 de Setembro de 2020 19:04
42 98874-8154
Educação Ponta Grossa

Diálogo é essencial para que crianças compreendam o momento atual e a hora de voltar às atividades

Efeitos da pandemia nas crianças serão diretamente ligados à maneira como os pais explicam sobre a situação

21/08/2020 14h44
Por: Redação Fonte: Sepam
Foto: divulgação
Foto: divulgação

Todos já ouvimos falar que os filhos se espelham nos pais, seja no modo de falar, agir e se relacionar. Mas será que em tempos de pandemia é diferente? Muito pelo contrário! Devido à necessidade de isolamento social as pessoas estão passando a maior parte do tempo dentro de suas casas e as crianças estão atentas a tudo. E até que ponto a nova realidade está mexendo com a saúde mental das crianças? Como fazer para que elas entendam que hora ou outra voltarão para a escola, ao convívio dos amigos, a brincar no parque, e os pais ficarão menos tempo em casa?

 

Para a psicóloga, Renata Moreira, os efeitos da pandemia nas crianças serão diretamente ligados à maneira como os pais explicam sobre a situação atual, como elas estão reagindo e percebem esse momento. “Danos emocionais podem existir sim, mas estão relacionados muito mais com a forma como os adultos estão conduzindo essa situação do que com as limitações que o próprio isolamento social impõe. As crianças podem sentir medo, irritação, desenvolver ansiedade, insegurança, dificuldade em separar-se dos pais, tristeza acentuada, entre tantas outras dificuldades”, explica.

 

No entanto, a psicóloga observa que as pessoas crescem na adversidade. “Não conseguimos evitar que nossos filhos enfrentem situações difíceis na vida, e nem devemos fazer isso. Precisamos ensiná-los a enfrentar as dores do mundo, precisamos aproveitar essas situações para desenvolver a capacidade de resiliência em nossos filhos, cercando-os de fatores protetivos como, por exemplo, apoio, carinho, incentivo e ajuda”, completa Renata.

 

Voltando à escola

Para a coordenadora pedagógica do Colégio Pontagrossense Sepam, em Ponta Grossa (PR), Kátia Gisele Costa, os pais devem, neste momento, preparar as crianças menores para o retorno à escola, mesmo não se tendo uma definição de quando isso realmente acontecerá.

 

As orientações devem contemplar ações simples, como não abraçar, beijar ou compartilhar colegas nessa fase de contato físico reduzido, já que as crianças agem por impulsividade. Outro detalhe importante é o ato de lavar as mãos com frequência utilizando água e sabão. “As crianças precisam ouvir, em casa, os adultos falando sobre essas recomendações para se acostumarem pois voltarão ansiosas e os professores estarão monitorando e colocando as limitações o tempo todo. Precisamos da ajuda dos pais para que a rotina da escola seja mais leve no retorno. É importante que estas ações se tornem hábitos e que as crianças entendam, desde já, o que não podem fazer”, explica a coordenadora.

 

O uso da máscara de proteção também deve ser assunto nos lares. “Os pais podem ajudar fazendo a criança usar a máscara em casa, numa estratégia de tempo progressivo, sendo no primeiro dia um minuto de uso, no segundo dois minutos e meio, depois quatro, e também lançar desafios, como assistir aos desenhos, do início ao fim, usando a máscara, assim as crianças irão se habituando”, orienta Kátia.

 

Sobre o Colégio Sepam

Fundado em 1939 na cidade de Ponta Grossa (PR) pelos professores Roberto Emílio Mongruel e Altair de Oliveira Mongruel, o Sepam é uma instituição de ensino particular de nível infantil, fundamental, médio e pré-vestibular. Possui duas unidades em operação, sendo a segunda na cidade de Castro (PR), inaugurada em 1993.  Com perfil arrojado e inovador, o Colégio Sepam implantou, em 2015, o programa de ensino médio internacional - o High School -, por meio de um convênio com a Universidade de Missouri (Estados Unidos). Na unidade Sepam Vestibulares, a Instituição completa 40 anos de atuação no segmento de pré-vestibular, consolidado como um dos líderes em aprovações do Paraná, com mais de dez mil aprovações em destacadas universidades brasileiras. O Colégio Sepam tem como linha filosófica a formação humanista de seus alunos e possui professores bilíngues com formação em diferentes áreas da licenciatura. Mais informações: sepam.com.br,  facebook.com/sepamcolegio e @sepamcolegio (Instagram).

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ponta Grossa - PR

Ponta Grossa - Paraná

Sobre o município
Ponta Grossa, chamada de “Princesa dos Campos Gerais”, geograficamente sendo o 2° Planalto Paranaense, estudos revelam como maior entroncamento rodoferroviário do Sul do Brasil, devido seu potencial de escoamento de produção agrícola e de insumos é o maior polo industrial do interior do Paraná. Como uma população estimada em mais de 300 mil habitantes, com característica universitária, ótima opção para investimentos imobiliários, comércio de bens, serviços e turismo.