quarta-feira, 3 de julho de 2019

Saudade do parque por Emerson Pugsley

Em tempos atrás, recebemos a excelente notícia, da revitalização desta área verde, de nossa Cidade de Ponta Grossa. Autoridades municipais, foram até o local e ficaram assustadas, com as condições em que se encontrava. 

Bem na região central, próximo de bairros elegantes, de casas luxuosas, temos este local abandonado, contrastando com a Vila Nova, repleta de problemas sociais, violência, drogas, esgoto a céu aberto, entre tantas outras coisas do gênero.

A conhecida “Chácara Dantas”, ganhou o status de parque, durante uma certa gestão passada, bastante popular por sinal. Após sua inauguração, tínhamos uma estrutura interessante, com trilhas asfaltadas, pequeno lago com peixes, paredão rochoso, jardins organizados, sanitários de alvenaria, casas de madeira, portaria, entre outras coisas boas mais.

Um local de encontro, de atividades educacionais, de passeios, de crianças correndo, do cheiro de mato e ar puro, em meio a árvores, pássaros e ambiente natural.

Durante algum tempo, fiz estágio neste local, e acompanhei uma bonita fase do parque. Tínhamos até segurança por lá. Na época natalina, os ornamentos eram muito bonitos, com apresentações especiais inclusive.

Então o tempo foi passando. Aquela gestão foi embora, outras vieram e o bonito parque, foi sendo deixado de lado, sofrendo todo o tipo de violência e vandalismo. A depredação foi completa, não sobrando muita coisa em pé, a não ser as próprias árvores.

Então chegamos, ao ponto de termos drogas e drogados, utilizando este local, para consumir suas substâncias tóxicas e vícios diversos. Notícias entristecedoras, que demonstram a falta de apoio e valorização ao patrimônio público.

Não tinha outra solução, a não ser fechar os portões do antigo Margherita Masini. Mas se esqueceram, que o mesmo, era rodeado de cercas, fáceis de serem violadas. O descaso total chegou ao seu ponto máximo.

Enquanto isso, a própria população, a qual paga, através dos seus impostos a manutenção destes locais, ficou sem esta área verde, de recreação e descanso.

Na atual gestão municipal, até tivemos uma movimentação, no sentido da revitalização do espaço em questão. Mas até o presente momento, só teoria e pouca prática. Dias atrás, por lá passei e percebi o mato crescendo nas alturas. Concordo que seja uma área natural, mas manutenção é preciso.

Está mais do que provado, de que locais oferecidos, ao lazer da população, se bem estruturados, são valorizados e protegidos. Assim temos visto, na Praça do Monteiro Lobato e do Pôr do Sol também, atrás do Hotel Vila Velha. Excelente semana aos leitores.

“A saudade é como o sol de inverno: ilumina sem aquecer.” (BERILO NEVES)


Ermerson Pugsley, o autor é cronista, formado em Geografia com Especialização em Espaço, Sociedade e Meio Ambiente. Já tem várias publicações em diversos meios de comunicação e participa como colunista voluntário no Jornal Ponta Grossa, desde 2017.


*As opiniões e declarações expressas aqui não representam a posição do Jornal Ponta Grossa. Reservando apenas a opinião e pontos de vistas individuais do autor.

EU CONCILIO

EU CONCILIO
Eu Concilio - Mediação e Conciliação

Postagens mais visitadas da semana

CONTATO

E-mail: jornalpontagrossa.com@gmail.com
Cel.: (42) 9.8874-8154

FALE CONOSCO:

Nome

E-mail *

Mensagem *