segunda-feira, 25 de março de 2019

Sebrae/PR quer potencializar o empreendedorismo feminino nos Campos Gerais

Evento de lançamento do programa contou com a presença
da empresária Tânia Gomes Luz. Foto: Rodrigo Czekalski.
Com o objetivo de potencializar o empreendedorismo feminino, o Sebrae/PR lançou na última quinta-feira (21), no escritório regional em Ponta Grossa, o programa Sebrae Mulher de Negócios. A iniciativa é uma das frentes de atuação da entidade para auxiliar mulheres a trabalharem questões comportamentais e técnicas, desenvolvendo novas habilidades práticas de gestão, a fim de reposicionarem seus negócios.

Com dois anos de duração, o programa disponibiliza 30 vagas em Ponta Grossa. Podem participar mulheres que já têm empresas formalizadas e as que estão na informalidade. Estão previstos encontros coletivos, mentorias e visitas técnicas. No primeiro ano serão trabalhados temas como o design thinking, método Canvas, design sprint, meetup, cultura de indicadores, entre outros. Em 2020, entre os temas abordados estão o funil de vendas, canal digital e acesso à mercado.

“As mulheres vem ganhando espaço no mercado como líderes e empresárias referência em suas áreas. O programa Sebrae Mulher de Negócios vem para contribuir com a capacitação dessas mulheres, desenvolvendo habilidades e talentos para elevar a performance de atuação no meio empresarial, atuando com a mudança de mindset e comportamento empreendedor”, comenta a consultora do Sebrae/PR, Mariana Carvalho Souza.

O evento de lançamento do programa contou com a palestra “A coragem que me trouxe até aqui”, com a empresária, escritora, palestrante e mentora Tânia Gomes Luz, vice-presidente da Associação Brasileira de Startups (ABStartups) e premiada na Premiação Empreendedor de Sucesso, da Pequenas Empresas, Grandes Negócios (PEGN).

“Somos 52% da população brasileira e fomos ensinadas a não correr riscos. Crescemos aprendendo que ser obstinada é feio. O problema é que para empreender tem que se correr riscos. Empreender é ter coragem de sair da zona de conforto”, frisa. A empresária também motivou a reflexão a respeito da inovação que, conforme ela, precisa ser simples e eficiente. A palestrante deu dicas ainda de negócios, como ter boas ideias, estudar o mercado, construir cultura e a marca, investir em relacionamentos e ter propósitos.

As inscrições para o programa podem ser feitas no escritório do Sebrae/PR, em Ponta Grossa, que fica na Rua Lauro Cunha Fortes, 450, em Uvaranas. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (42) 3228-2506.

Chefes de domicílio
Nos últimos dois anos, a proporção de mulheres empreendedoras que são “chefes de domicílio” passou de 38% para 45%. Com o avanço, a atividade empreendedora passou a conferir às donas de negócio a principal posição em casa, superando o percentual de mulheres na condição de cônjuge (situação verificada quando a principal renda familiar provém do marido).

Esta posição caiu de 49% para 41% nos últimos anos, conforme constatou o relatório especial produzido pelo Sebrae. O estudo constatou ainda que as representantes do sexo feminino empreendem movidas, principalmente, pela necessidade de ter uma outra fonte de renda ou para adquirir a independência financeira. Hoje, as 9,3 milhões de mulheres que estão à frente de um negócio representam 34% de todos os donos de negócios formais ou informais no Brasil.

Principais dados das mulheres empreendedoras:
Entre 49 países do mundo, o Brasil tem a 7ª maior proporção de mulheres entre os “Empreendedores Iniciais”
  • As mulheres Donas de Negócio (formais e informais) são mais jovens, do que os homens. São 43,8 anos contra 45,3 anos no caso do sexo masculino.
  • As Donas de Negócio têm maior escolaridade (16% maior), mas ganham – em média – 22% a menos que os homens na mesma posição.
  • Parcela expressiva das mulheres Donas de Negócio trabalha em casa – 25%. No caso específico das mulheres que são Microempreendedoras Individuais (MEI) esta proporção sobe para 55%.
  • As mulheres empresárias tomam menos empréstimo e com valor médio igualmente menor. O valor médio do empréstimo para mulheres é – em média – R$ 13.071 menor que o dos homens.
  • As empresárias pagam taxas de juros maiores. A taxa anual para empresárias é 3,5 pontos percentuais acima dos donos de pequenos negócios.
  • A taxa de inadimplência das mulheres é inferior à registrada por homens. 3,7% para mulheres contra 4,2% para os empresários.
  • Quase metade dos MEI existentes no país são mulheres (48%).
  • As mulheres MEI se destacam em atividade de beleza, moda e alimentação.
  • As mulheres MEI trabalham mais em casa (55%).

EU CONCILIO

EU CONCILIO
Eu Concilio - Mediação e Conciliação

Postagens mais visitadas da semana

CONTATO

E-mail: jornalpontagrossa.com@gmail.com
Cel.: (42) 9.8874-8154

FALE CONOSCO:

Nome

E-mail *

Mensagem *