segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019

Um mundo que não é cor de rosa por Emerson Pugsley

Inicialmente, devemos observar, as principais manchetes dos jornais, revistas, televisão e rádio. Quantas notícias envolvendo as mulheres. E quantas maldades também.

Dias atrás, lendo notícia em jornal, observava uma venezuelana, desnutrida, desesperada e apenas em pele e osso. Sem entrar nos parâmetros políticos, cenas de terror.

Ou também das prisioneiras. Certa vez, li uma matéria a respeito. Uma destas, falou que seu namorado, sempre a visita, e quer esperá-la ganhar a liberdade. Com um pequeno sanduíche embrulhado, homenageou seu amor no cativeiro.

Que vida complicada as mulheres enfrentam. A própria natureza, já colocou tantas dificuldades, e o mundo também, aplica suas duras penas e privações. É a violência doméstica, a falta de carinho dos companheiros e filhos, a dor do parto e depois a dor do sumiço dos seus bebês frágeis.

Estou aqui escrevendo, e lembrando de todas aquelas mulheres, que sofrem abusos, sejam eles emocionais, físicos ou sexuais, os quais deixam resquícios para toda a vida.

Algum tempo atrás, tivemos aquela jovem, a qual ganhou uma carona do namorado da mãe, para retornar de Santa Catarina para Curitiba, e conseguiu deixar ainda registrado, no celular de familiares, o pedido final de socorro. Brutalmente estuprada e assassinada na sequência com golpes na cabeça.

Lembro também, das mulheres lutadoras e solitárias, as quais acordam de madrugada para buscar o sustento diário. Mãos e pés gastos pela vida em um mundo que esqueceu de amá-las como merecem.

Quantos esposos as presenteiam com rosas, mas aplicam espinhos em suas almas? A infidelidade só aumentando, e o casamento, tornando-se algo descartável.

Ao redor do mundo, temos inúmeros casos do desrespeito a mulher. Muitas são vendidas pequenas, pelos próprios pais, outras ao nascerem são abandonadas nos hospitais, por exemplo, na China.

Outras tantas humilhadas, escravizadas, estupradas, machucadas e esquecidas. Na Índia, muitas queimadas vivas e perseguidas ao extremo. Outras jogadas de dentro dos ônibus em movimento.

A luz e as trevas, a paz e a guerra, a companhia e a solidão, a alegria e a tristeza, a fome ou a nudez. A fama e o anonimato. Mulheres fortes, outras enfraquecidas.

Semana passada, tivemos aquele bárbaro caso, na Cidade do Rio de Janeiro, quando um ser monstruoso humano, após ser recebido na casa da vítima e bem alimentado, a espancou violentamente, deixando o seu corpo aos pedaços.

Peço a Deus que proteja as mulheres destes seres horríveis e desprezíveis humanos. Uma semana de reflexões aos leitores!

Emerson Pugsley, o autor é cronista, formado em Geografia com Especialização em Espaço, Sociedade e Meio Ambiente. Já tem várias publicações em diversos meios de comunicação e participa como colunista voluntário no Jornal Ponta Grossa, desde 2017.

*As opiniões e declarações expressas aqui não representam a posição do Jornal Ponta Grossa. Reservando apenas a opinião e pontos de vistas individuais do autor.

Postagem em destaque

Sebrae/PR assina acordo de cooperação para estimular a utilização de biogás e biometano

Termo firmado em parceria com a Unido e a CIBiogás deve movimentar mais de R$100 milhões nos próximos três anos em projetos de energia sus...

Postagens mais visitadas da semana