segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

Monopólio Coletivo por Emerson Pugsley

Todos os dias, milhares de estudantes, trabalhadores e donas de casa, precisam do transporte, pois tudo é longe. Nos diferentes bairros e vilas, até o centro da cidade, temos grandes e médias distâncias. Entre os diferentes terminais, o vai e vem é constante.

Dos pequenos ônibus amarelinhos, até os grandes sanfonados ou do Sem Parar, sempre parando, no trânsito congestionado, todos(as), precisam ter muita calma nesta hora. Em determinados horários, conseguir um ônibus, pode ser considerado um verdadeiro milagre. Eu mesmo, já passei por situações assim. É de cansar, e ficar com muita raiva, pois quem passa, pela garagem dos ônibus, observa muitos veículos parados “descansando”, enquanto os habitantes ficam a mercê do nada.

Tempos atrás, ouvimos a reclamação, de uma trabalhadora, a qual esperava o seu ônibus no ponto, e viu o mesmo passar reto, sem parar. Um desrespeito, que coloca sua integridade física em risco. A empresa, somente comentou, que o motorista é novo na linha. Uma solução pobre, para um problema bem maior.

A Cidade de Ponta Grossa, precisa acordar, para a questão do transporte coletivo. Chega de monopólio. É necessário, reunir lideranças, dialogar com a população, e então perceber, que o município cresceu demais, nestes últimos anos e não pode ficar nas mãos, de uma única empresa. Compreendo, a dinâmica capitalista, e os interesses que existem, mas não podemos ser, escravos do sistema de transporte.

Em reportagem passada, observava, a reclamação, de mais uma usuária, com respeito ao ponto de ônibus. O mesmo, ficava próximo de um muro, onde um cano de água, molhava quem por ali estava. Falar em transporte, é dar condições também, para aguardar com qualidade o seu ônibus. Os nossos abrigos, foram mal planejados, pois em dias de chuva, é melhor não utilizá-los, pois pouco protegem. Sem dizer, dos locais, onde os próprios moradores, é que fazem a manutenção, dos pontos de parada.

E os nossos terminais então? O Central, quase sempre em reformas. As escadas rolantes, ficaram largadas, a própria sorte ou azar, e apodrecendo a céu aberto. O da Nova Rússia, debaixo do mato e abandono total, como vi dias atrás. O de Oficinas e Uvaranas, daquele jeito, que já estamos carecas de saber. Agora a promessa, do novo terminal na Santa Paula. Torço que seja melhor cuidado.

E o preço da passagem, cada ano mais alto. E a população, precisando se virar nos trinta da “sofrência”, em ônibus apertados, alguns que mais estragam, do que qualquer outra coisa, e assim, vamos tentando locomover-se.

Finalizando, gostaria de dar uma dica: se vão aumentar o valor, que deixem o mesmo, em números inteiros arredondados. Chega de centavos, que o usuário não possui na carteira. Uma excelente semana aos leitores e forte abraço!

Emerson Pugsley, o autor é cronista, formado em Geografia com Especialização em Espaço, Sociedade e Meio Ambiente. Já tem várias publicações em diversos meios de comunicação e participa como colunista voluntário no Jornal Ponta Grossa, desde 2017.
*As opiniões e declarações expressas aqui não representam a posição do Jornal Ponta Grossa. Reservando apenas a opinião e pontos de vistas individuais do autor.

Postagem em destaque

Copa Nosso Campinho inicia a segunda fase sábado no Jardim Los Angeles

A 2ª Copa Nosso Campinho tem a primeira rodada da segunda fase programada para o sábado (20) com jogos no campo do Jardim Los Angeles.  ...

Postagens mais visitadas da semana