quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Cinema em Pauta: Django Livre

Para fãs assíduos de Tarantino esse é mais um dos seus filmes que faz perpetuar sua forma de narrativa com muita violência e mortes sanguinárias, mas para quem é fã de Faroeste pode torcer o nariz ao rever Django adaptado do diretor italiano Sérgio Corbucci.

O Django (1966) era um fora da lei que carregava um caixão cheio de armamentos e que passava de vilarejo em vilarejo a fim de resolver injustiças contra os menos abastados, no caso eram os mexicanos explorados pelos senhorios.

Tarantino se diz fã confesso de faroestes (conhecido por utilizar cenas de westerns italianos em seus roteiros) e diz fazer uma singela homenagem ao diretor Sergio Corbucci em Django Livre utilizando muitos elementos do Django (1966) como cores e o mesmo formato das letras do inicio sem contar a trilha sonora original de Sergio Corbucci.

Franco Nero famoso por seu personagem Django italiano fez uma pequena participação no filme que fez com que seus fãs recordassem de seu olhar de ‘poucos amigos’ na cena onde estão Django (Jammie Foxx) e Amerigo Vassepi (Franco Nero) num balcão de um bar, e ironicamente pede-o para soletrar seu nome, D-J-A-N-G-O.

Por estar cheio de elementos a ser abordados em cena sobre o tema da escravidão, a narrativa começa a se tornar cansativa depois da metade do filme em diante, tornando-se um filme longo e sem muita ação e assim entediando o espectador até enfim o desfecho da narrativa.

Não se pode dizer que Django Livre seja um remake mesmo utilizando diversos elementos cinematográficos de Django (1966) mesmo abordando o enredo da escravidão, que também é vista no Django original (escravidão dos mexicanos), mas não se torna o foco principal.

Já Tarantino mostra a escravidão dos negros de forma extremamente violenta que choca os olhos, em cenas fortes que vão desde as “rinhas” de escravos aos tiroteios que arrebentam cabeças de cavalos exageros à parte, Tarantino agrada seus fãs pelo excesso de sangue em cenas.

DJANGO LIVRE/Django Unchained. Direção e Roteiro de Quentin Tarantino. 166 Min. EUA, 2012. Faroeste.Com Jamie Foxx, Christoph Waltz, Leonardo Di Caprio, Franco Nero, Kerry Washington, Samuel L. Jackson, Jonah Hill, Don Johnson, Walton Goggins.Produção Sony Pictures/The WeinsteinCompany.

EU CONCILIO

EU CONCILIO
Eu Concilio - Mediação e Conciliação

Postagens mais visitadas da semana

CONTATO

E-mail: jornalpontagrossa.com@gmail.com
Cel.: (42) 9.8874-8154

FALE CONOSCO:

Nome

E-mail *

Mensagem *